A falta de capital que algumas empresas enfrentam normalmente está associada à ausência de indicadores e controle efetivo sobre a gestão financeira e os fluxos monetários do negócio. Mas, nem tudo está perdido. É possível reverter esse tipo de situação ou evitar que ela aconteça.

A gestão financeira tem como objetivo encontrar a harmonia entre os rendimentos e a liquidez. Afinal, todo empreendedor espera obter um bom retorno de seus investimentos e cumprir com suas obrigações dentro dos prazos, sem acumular dívidas e obtendo ganhos.

Para alcançar essa sintonia, a administração dos recursos e todo o sistema operacional da empresa precisam estar em constante monitoramento. Quando se trata de negócios, deixar esse quesito de lado pode ser fatal.

Então, embora pareça complicado num primeiro momento, faz-se necessário aprender a lidar com a gestão financeira para que a empresa seja realmente sustentável e rentável. E escapar do ciclo vicioso que coloca as contas no vermelho é mais simples do que parece. Quer ver só?

Ponto de Equilíbrio

A gestão financeira compreende um conjunto de ações que controlam e fomentam os rendimentos de um empreendimento. Em primeiro lugar, é necessário encontrar o chamado Ponto de Equilíbrio, também conhecido como Break Even Point.

O Ponto de Equilíbrio nada mais é do que a uma proporcionalidade entre receitas e despesas em um período específico. Encontrando esse parâmetro de segurança, fica mais simples definir o faturamento mínimo mensal para honrar os compromissos fixos e circunstanciais. Quanto mais baixo ele for, menores os riscos do negócio.

Na prática, esse indicador é fundamental, porém apenas garante que não haja prejuízos e que as contas sejam pagas. Já a gestão financeira vai garantir que, uma vez que alcançado esse patamar, a empresa também comece a lucrar.

Métodos de Custeio para melhorar sua Gestão Financeira

Qualquer atividade econômica precisa de um rigoroso controle de custos, se quiser produzir mais por menos sem perder a qualidade. Esse é um grande desafio da gestão financeira e diversas são as maneiras de definir os custos de sua produção. Dentre elas se destacam:

Custeio ABC

A sigla vem do inglês Activity Based Costing, isto é, Custeio Baseado nas Atividades. Esse método, que pode ser utilizado como um artifício na gestão financeira, consiste em aperfeiçoar a rentabilidade da empresa. Isso é feito imputando não apenas os custos de produção mas também as especificidades dos recursos que são consumidos por cada atividade exercida.

Custeio por Absorção ou Integral

O Método de Custeio por Absorção ou Integral é o recomendado pela legislação brasileira para a realização da contabilidade. Esse recurso de gestão financeira considera custos fixos, variáveis, diretos e indiretos, embora seja passível de “rateios” entre diferentes setores da firma que acabam distorcendo os resultados.

Custeio Variável ou Direto

O Método de Custeio Variável ou Direto é muito utilizado para fazer gestão financeira em indústrias e comércios. Ele considera unicamente os custos variáveis, para determinar o montante necessário na fabricação de seu produto, ignorando os custos fixos e as despesas.

Independentemente do método utilizado para organizar seu orçamento, a gestão financeira é imprescindível para que os dados sejam fiéis à realidade. Assim, é possível poupar e diminuir os gastos, inclusive com uma boa gestão de compras, alcançando maiores lucros.

Controle e projeções financeiras

Um gestor eficiente está sempre de olho nos resultados de sua companhia. Bem como deve sempre estar atento à discrepâncias que podem gerar falhas no futuro. Num mercado tão acirrado e competitivo, o controle e as projeções financeiras são vitais.

Fechar o mês é importantíssimo e essa é a maior preocupação de todo empreendedor. Todavia, sem controle e projeções do fluxo de caixa, pode não existir tempo hábil para contornar problemas que surgem no caminho.

Por isso, estar atento aos recebimentos e pagamentos torna-se primordial para garantir o capital de giro. Por intermédio de uma gestão financeira eficiente, isso fica muito mais fácil. Além de escapar das dívidas, dá até pra adquirir o excelente hábito de poupar.

Ferramentas para Gestão Financeira

Muitos empreendedores têm o tino para os negócios, mas seus instintos nem sempre incluem a experiência necessária para a administração das finanças. E, logicamente, isso interfere (e muito!) nos seus resultados.

Acompanhar tudo que acontece em tempo real, tendo controle sobre os demonstrativos contábeis, sobre o inventário, fluxo de caixa, entre tantas outras preocupações, chega a ser utópico. E é nesse contexto que as ferramentas para gestão financeira se aplicam.

Para que acelerar o trabalho da natureza, ficando cheio de cabelos brancos com tanto estresse e preocupação, se há atalhos que podem resolver boa parte dos seus problemas? O desempenho econômico da empresa pode ser gerido com muito mais facilidade se o sistema de gestão financeira adequado for utilizado para lhe auxiliar.

Esse tipo de programa permite que o empreendedor tenha pleno acesso a todos os dados da empresa a qualquer momento. De forma remota e a partir de um dispositivo de preferência, por exemplo seu próprio celular, ele acompanha a movimentação financeira e consegue visualizar com maior clareza os indicadores que o auxiliarão na tomada de decisões.

A adoção de um software de gestão financeira apresenta-se como o meio mais prático e acessível de maximizar a lucratividade dos negócios. É interessante acompanhar os relatos de quem já está fazendo uso dessa tecnologia. Neles, percebemos como esse tipo de plataforma é intuitiva e pensada justamente para descomplicar a vida do gestor.

Escolhas inteligentes

A partir do momento em que os tópicos de gestão financeira mencionados até agora são colocados em prática, sem dúvida podemos dizer que o negócio vai ser beneficiado pelo verdadeiro potencial empreendedor de quem o idealizou. Pois estar focado no que realmente interessa torna-se algo, de fato, plausível.

Oscilações fazem parte do momento econômico que vivemos. No entanto, com o pleno controle da sustentabilidade da companhia, até mesmo as épocas de vacas magras são mais fáceis de superar.

Definindo um planejamento, uma metodologia de ação e utilizando a estratégia certa para fazer a gestão financeira, fica muito mais claro o momento certo de investir em novas oportunidades ou naquelas que já estão dando certo. Por isso, otimizar essa prática é o que vai assegurar a viabilidade de escolhas inteligentes.

E aí, gostou das dicas de hoje sobre gestão financeira? Esse assunto é mais complexo para muita gente e portanto, se você tiver dúvidas, basta deixar uma mensagem na área dos comentários e nós teremos maior prazer em auxiliá-lo.